21/08/2016

Bites & Bits 33/52

"Our doubts are traitors, and make us lose the good we oft might win, by fearing to attempt." - William Shakespeare

O tempo entre acabar algo e o começo de outra pode ser mortal. Entre projectos e entre rotinas... É nessa altura que facilmente a(s) dúvida(s) arranjam uma maneira de se infiltrar. Não interessa quão boas são as coisas que fazemos, o medo de falhar acaba sempre por bater à porta. E qualquer acaba por nos incomodar. Até as coisas mais estúpidas vão incomodar e chatear para lá do normal. E tudo será a perfeita desculpa para afinal não começar.

Não gosto de escrever sobre falhanços, ou pensamentos mais negativos. O meu consciente sabe muito bem que ser freelancer ou trabalhador independente têm as suas lutas e dificuldades. Mas isso não me ajuda em nada quando tenho segundos pensamentos sobre o meu trabalho ou método. Eu sei que tudo pode sempre ser melhorado. Também sei que as dúvidas que me vão levar à melhorar tanto o trabalho como os métodos. Mas só daqui alguns meses (se tiver sorte) ou anos é que serei capaz de reconhecer o desenvolvimento e a melhora. Isso também não me ajuda quando começo a duvidar de mim mesma.

The time between finishing something and start another can be a killer. Between projects and between routines... That's when easily doubt(s) slide in. It doesn't matter how good things you do, but the fear of failure stets in anyway. Every single thing can (and probably will) upset you. Even the stupidest things (like leaving home to buy soup and the supermarket having not stock of it at all... or maybe someone that your talking with you is a little slower to understand you... and even catch someone on a lie) will disturb, upset and infuriate you beyond normal. And all will become good excuses to don't face a new beginning.

I don't like to write about failures, or more negative sort of thoughts. The conscious part of me knows very well that all freelancer or self-employed people suffer their struggles. But that doesn't help when I start to have second thoughts on my work or my method. I know all of it can be improved. I also know that self doubt will lead me to improvement. But only in a few months (if I'm lucky) or years I will be able to recognised that improvement and development. That doesn't help me either when I'm feeling self doubt.


Sabem qual é o passo mais difícil em tudo? O primeiro. É também o mais assustador.
Estou a na fase em que me estou a preparar para o primeiro passo. E estou cheia de medo de falhar. A parte mais ridícula é que nem estou a criar nada novo, é algo que já fiz várias vezes. Mas também já falhei várias e quase que tive um pequeno esgotamento (numa das vezes).
Um dos livros que estou a ler está a ajudar-me a re-focar no meu trabalho - Show your work do Austin Kleon (Irei falar deles brevemente). O livro está a recordar-me que estou no caminho certo e o que estou a fazer faz sentido. O outro está a ajudar-me a desligar-me da realidade a relaxar um pouco (mas não muito, porque é um livro de horror - o It do Stephen King).
Como é que vou (e já estou) a sair desta situação? Estou a tentar focar-me em pequenas partes e tarefas, ao mesmo tempo que dou o primeiro passo. Depois tudo será mais fácil.

Se estão curiosos, estou a falar das agendas 2017. Quero fazer algo novo, mas que mantenha o espírito Nuts for Paper. A maior luta têm sido as ilustrações para os separadores dos meses - vão ser um pequeno desafio, mas cada vez estou mais segura e confiante com as escolhas que estou a fazer.

E vocês, como é que lidam com o medo de falhar?

Do you know what's the hardest step in everything? The first one. It's also the scariest one too.
I'm on that stage where I'm about to do the first step. I'm scared of failing. And I'm not even creating something new, it's something that I've did before many times. But I also failed and almost burn out doing it (in one of the times).
One of the books I'm reading at the moment is helping on re-focus on my work - Show your work by Austin Kleon (I will talk about it as soon as I finished it). The book is reassuring me that what I'm doing is on the right track. The other one is helping shut down from reality and relax a little (but not too much because it's a horror book - It by Stephen King).
How will I move on of this situation(actually how I'm already moving forward)? By focusing on a smaller part of my next task and give the first step. After that everything else is always easier.

And if you're curious, the task is creating the 2017 planners. I want to make something new, but keeping the Nuts for Paper spirit. One of the struggling points is the illustrations for the months - I think they are going to be a little challenge, but more I thought about my decisions more secure and happy I am with them.

How do you cope with the fear of failure? 

2 comentários:

  1. Entendo-te perfeitamente. Tive alturas no meu trabalho que entrava em pânico quando tinha de começar algo novo. Como tinha a noção da grande importância dessas tarefas, o medo que corressem mal deixava-me mesmo nervosa. Tive uma vez que tive de pedir ajuda porque bloqueei em frente à bancada de trabalho, comecei a hiperventilar feita idiota. Relembrar isso faz-me rir mas na altura não teve piada nenhuma. Agora estou mais calma em relação a esse tipo de coisas. Aprendi a relativizar! Tenho a noção que dou o meu melhor e que, independentemente de como as coisas corram, o mundo continua a girar. Pensando bem, não é o fim do mundo :) tens imenso valor e vais ver que vai correr bem! Estou muito curiosa para ver o que vai sair daí :D Go Girl!!!

    ResponderEliminar

Deixe aqui o seu comentário // Leave us a comment